Biosofia nº 42

5.00

Categoria:

O Desafio da Vida

A ARTE DE ARREPENDER-SE

Não é muito frequente encontrar um texto sobre a utilidade prática do ato de arrepender-se. Até mesmo referências ao assunto são raras [1].

O arrependimento pode ser definido como a capacidade de identificar, reconhecer, observar, extrair lições e abandonar – às vezes com profundo desgosto – os nossos erros. Esta é uma prática de grande importância em teosofia, e ela exige um certo grau de coragem.

O pensador indiano B. P. Wadia, um dos líderes históricos da Loja Unida de Teosofistas, escreveu sobre o arrependimento. Citando outro autor, ele disse que o ato de arrepender-se é:

“Uma força sem nome, que está acima dos cinco sentidos, e que mantém o coração puro. A estabilidade do ser humano depende da sua confiança nesta força, que também dá mais solidez a todas as boas intenções”[2].

O arrependimento nada tem a ver com sentimentos negativos a respeito de si mesmo. Na verdade, constitui o seu oposto. É necessária uma quantidade adequada de saudável autoconfiança e de confiança na vida para que haja a capacidade de olhar de frente para as fontes do sofrimento pessoal – e renunciar a elas.

O processo do arrependimento pertence ao mundo da ação. Ele inclui a capacidade de mudar para melhor a direção da sua existência pessoal e de compensar, pacientemente, a força acumulada dos erros passados.

Cada ser humano está sempre rodeado de oportunidades para aprender e renovar a sua vida, e isso inclui o caminho da sabedoria. Um mestre dos Himalaias escreveu:

“Todo membro [do movimento teosófico] que se arrependa verdadeira e sinceramente deve ser aceito de novo”[3].

A prática da renúncia aos erros pode ser posta em ação diariamente. Tanto a tradição pitagórica como os ensinamentos teosóficos convidam os seus estudantes a fazer um exame diário das suas ações, durante o qual eles podem renovar a decisão de abandonar ações erradas e de expandir as ações corretas, perseverando no caminho da verdade.

Carlos Cardoso Aveline
Fundador e editor-geral do site www.filosofiaesoterica.com. Entre os seus livros já publicados estão “Três Caminhos Para a Paz Interior”, “A Vida Secreta da Natureza” e “Conversas na Biblioteca”. Ver mais em Ver mais em www.TeosofiaOriginal.com e ainda em www.VislumbresdaOutraMargem.com .

————————–
[1] Veja-se, no entanto, o meu artigo Learning From the Feeling of Remorse (“Aprendendo com o Sentimento de Remorso), que pode ser encontrado na Lista de Textos Por Ordem Alfabética em www.FilosofiaEsoterica.com, ou na List of Texts in Alphabetical Order em www.TheosophyOnline.com e www.Esoteric-Philosophy.com .

[2] Do artigo Of Repentance, de B. P. Wadia. O texto está disponível no website www.teosofiskakompaniet.net.

[3] Cartas dos Mahatmas Para A. P. Sinnett, Ed. Teosófica, Brasília, 2001, edição em dois volumes. Ver volume I, Carta 40, p. 187.